DIABETES

            O diabetes melito corresponde à passagem anormal do açúcar para a urina (essa passagem é acompanhada de água, o que aumenta o volume da urina). A presença de açúcar na urina, chamada glicosúria, ocorre quando a taxa de glicose [açúcar] no sangue, a glicemia, atinge valores muito elevados [hiperglicemia]. Por isso é que se utiliza a glicemia e não a glicosúria para definir diabetes.

A Organização Mundial de Saúde [OMS] define o diabetes como uma doença caracterizada pela elevação da glicemia para além de 126mg/dl em jejum, no mínimo em duas medições. Esse limite é naturalmente aproximado, pois ninguém apresenta os mesmos valores de glicemia. Porém esse patamar foi escolhido porque corresponde ao valor a partir do qual a glicemia traz consequências sérias ao organismo.

GLICEMIA E PÂNCREAS

            A glicemia depende simultaneamente da chegada de glicose ao sangue e da sua utilização pela organização. Ela resulta de um equilíbrio permanente entre os fatores hiperglicemiantes [refeição, hormônios] e fatores hipoglicemiantes [atividade física, metabolismo tissular, insulina].

fotoDiabetes

FONTES DE GLICOSE

A glicose do sangue pode vir de duas vias:
– Da alimentação: a glicose passa para o sangue depois da digestão.
–  De reserva do fígado: estas são mobilizadas quando se esta em jejum.

EFEITOS DA VARIAÇÃO DE GLICOSE

A glicose é a principal fonte de energia dos órgãos. Em caso de hipoglicemia [diminuição da taxa de glicose no sangue], as consequências são imediatamente sentidas por meio de sensação de fome, irritabilidade e mal estar.

A hiperglicemia [excesso de glicose no sangue] não representa esses sintomas e pode passar despercebida durante muito tempo. Com o tempo, destrói vasos sanguíneos do coração e os tecidos, especialmente os olhos , rins e nervos.

ALIMENTAÇÃO DO PORTADOR DE DIABETES

CARBOIDRATOS: existem duas categorias de CHOs, os complexos [amido] e os simples [açúcar de mesa ou sacarose]. O bom equilíbrio entre esses dois açucares é indispensável à manutenção do nível glicêmico.

CHOs simples: [açúcar, mel, chocolate, doces e bebidas doces, etc] frutas, legumes verdes, e em menor proporção, no leite e laticínios.

CHOs compostos: farináceos ricos em amido, como pão, massas, batatas, arroz, e todos os cereais e legumes secos.

Um produto doce aumentará menos a glicemia se for ingerido durante as refeições do que se consumido em jejum.

LIPÍDIOS: o diabetes já é um fator de risco vascular. Porém convém evitar adicionar-lhe efeitos nefastos do excesso de lipídios, particularmente colesterol. O aporte lipídico deve ser controlado quantitativamente e qualitativamente, reduzindo a porcentagem de calorias a 30% dos aportes energéticos da dieta.

PROTEÍNAS: no portador de diabetes, aporte proteico deve ser moderado para aliviar os rins, exceto no caso de crianças, mulheres grávidas e idosos. Importante diminuir a ingestão  de proteína animal em beneficio das proteínas de origem vegetal, reduzindo com isso o aporte de gorduras saturadas. 

Portanto fique de olho no que você ingere para controlar sua diabetes. Procure um profissional nutricionista para equilibrar sua dieta.

DiabetesWholeFoodsTreatment-850x595

Abraços.

LOGOLUBLOG

 

 

Be Sociable, Share!

Esta entrada foi publicada em DICAS. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta