Amplitude de Treinamento

Existem muitos fisiculturistas que vão ao treino e vejo alguns que  carregam a máquina com pesos e executam o movimento cerca de uma polegada.  Não deveria ser nenhuma surpresa que estas são as mesmas pessoas que não têm um bom físico, apesar do treinamento.

Os pesquisadores examinaram as diferenças entre maior e menor amplitude de movimento (ADM) e evolução temporal de qualquer alteração durante destreino. Esses mesmos realizaram oito semanas de treinamento de resistência e quatro semanas de destreino. O tamanho do músculo, arquitetura, gordura subcutânea, e força foram medidos nas semanas 0, 8, 10 e 12. Um grupo controle também foi monitorado durante este período.

No final de oito semanas, as diferenças de pós-formação significativas existia na força, massa muscular e de gordura subcutânea, com o grupo de longo alcance que exibe maiores adaptações do que o grupo de curto alcance. Destreino resultou em deteriorações significativas em todos os parâmetros musculares em ambos os grupos, com o grupo de curto alcance experimentando uma relativa perda mais rápida de pós-exercício aumento da força do que a do grupo de longo alcance. Maiores adaptações ao treinamento de resistência morfológicas e arquitetônicas no longo alcance (devido ao maior estresse mecânico) resultaram em um aumento mais significativo da força em comparação com a do curto alcance.

Utilizar uma boa amplitude de movimento nos exercícios é fundamental para o desenvolvimento muscular, no entanto, muita gente ainda confunde amplitude de movimento de alguns exercícios, com descer o máximo possível.

Be Sociable, Share!

Esta entrada foi publicada em DICAS, TREINOS e marcada com a tag , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta